Câmara do Livro Câmara do Livro no Facebook
   

17.09.2014
Formação prepara mediadores de leitura para encontros com autores na Feira do Livro

Qual é o papel do mediador de leitura? Esta e outras dúvidas foram respondidas durante a palestra de Ana Paula Cecato, mestre em Letras, professora e coordenadora do Núcleo de Formação de Mediadores de Leitura da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), promovida na capital gaúcha na tarde do dia 15 de setembro.

Voltada para os mediadores de leitura que visitarão a Área Infantil e Juvenil da 60ª Feira do Livro para encontro de alunos com autores, a formação reuniu mais de 40 profissionais da área de Educação no auditório da Livraria Paulinas, parceira do evento. Na plateia, gestores, professores e bibliotecários de escolas públicas municipais e estaduais de Porto Alegre, Esteio, Cachoeirinha, Gravataí, Sapucaia do Sul, São Leopoldo, Viamão, Alvorada e Cacequi.

A coordenadora abriu a conversa falando sobre a estrutura da Área Infantil e Juvenil que, em função das obras de revitalização no Cais do Porto, novamente concentrará as atividades na Avenida Sepúlveda, nos arredores da Praça da Alfândega. Além de 14 estandes de expositores, da Bebeteca, da Biblioteca Moacyr Scliar e da Estação da Acessibilidade, no local também funcionarão o QG dos Pitocos, a Casa do Pensamento, o Ateliê da Imagem, a Sala de Vídeo e o Teatro Sancho Pança, entre outros espaços que receberão programações voltadas para alunos da educação infantil, estudantes do ensino fundamental e do médio, assim como da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Ana Paula também reforçou as instruções gerais para as turmas que irão participar de atividades na Feira, enfatizando quesitos como pontualidade e organização, a fim de evitar atrasos e interrupções nos encontros.

Escolha do acervo

A coordenadora do Núcleo apresentou os convidados da Área Infantil e Juvenil da 60ª edição e ressaltou a diversidade de estilos e propostas dos autores que participarão da programação. Também falou sobre “Escolha de acervo de literatura infantil e juvenil”, abordando questões como os critérios que fundamentam a qualidade de um livro infantojuvenil, os diversos gêneros literários e as diferenças entre uma obra literária e não literária. De acordo com Ana Paula, o tema tem como objetivo auxiliar os professores nos projetos de leitura desenvolvidos pelas escolas e contribuir na preparação das turmas para os encontros na Feira.

A partir do livro O Alvo, de Ilan Brenman – autor confirmado nesta Feira do Livro –, promoveu uma reflexão sobre o papel dos mediadores de leitura. Entre os desafios, segundo ela, está conjugar conhecimento técnico e sensibilidade para trabalhar literatura em sala de aula, a fim de atrair a atenção dos alunos, independente da faixa etária. Gostar de ler, não ter medo de escrever juntamente com os alunos, ao propor atividades de escrita, ser curioso, aberto às descobertas e estar a par do que acontece à volta, buscando continuamente novas referências, são algumas das características que compõe o perfil de um mediador.

Com base na pedagogia de Paulo Freire, Ana Paula ainda ressaltou a necessidade destes se articularem como seres éticos. “O que é o ser ético? É o capaz de comparar, de avaliar, de intervir, de escolher, de decidir e de romper”, explicou. “O que fazemos gera transformações na escola. Quando os alunos trabalham com a palavra escrita, percebo que eles têm espaço para colocar a sua subjetividade”, disse a palestrante, destacando que na relação professor-aluno nem sempre existe essa abertura no dia a dia escolar.

A coordenadora do Núcleo chamou a atenção para o contexto social brasileiro, destacando que a grande maioria da população não participa de práticas de letramento antes da escola, o que reforça o compromisso e, ao mesmo tempo, aumenta o desafio dos educadores em formar leitores plenos. No Brasil, cerca de 26% da população é considerada analfabeta funcional – ou seja, mesmo sabendo ler e escrever um enunciado simples, como um bilhete, por exemplo, não tem habilidades de leitura e escrita.

Palavra de quem foi

Adriana Emerim Borges, professora das séries finais do ensino fundamental da Escola Municipal de Ensino Fundamental Grande Oriente do Rio Grande do Sul, de Porto Alegre, destacou a importância desse tipo de evento para os profissionais da área de Educação. “Como a minha área de mestrado é a crítica literária, costumo acompanhar o trabalho da Câmara Rio-Grandense do Livro”, afirmou a professora, que já participou de edições anteriores do Tessituras, iniciativa promovida pelo Núcleo de Formação e a UFRGS. “Acho o trabalho da Ana Paula na coordenação sensacional, porque ela consegue manter esse vínculo com as pessoas que se relacionam com a Câmara. Acho fundamental manter quem trabalha com literatura, com formação de leitores, bem informado a respeito dos eventos”.

Por sua vez, Andrea dos Santos Camboim, vice-diretora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Costa do Ipiranga, de Gravataí, ressaltou a importância da Feira do livro de Porto Alegre. “A nossa escola sempre vem à Feira do Livro e, em função disso, temos um projeto de leitura no qual as nossas crianças produzem livros. Geralmente, em outubro, é a sessão de autógrafos. Chamamos a comunidade e os pais têm a oportunidade de adquirir os livros que as crianças produzem ao longo do ano”, explicou. Sobre a sua primeira participação em um evento do Núcleo de Formação da CRL, foi taxativa: “Eu sou curiosa, me identifiquei com a questão da curiosidade apontada na palestra em relação aos mediadores de leitura: de ter acesso a novas coisas, a novos títulos e autores, é uma maneira de estar sempre buscando novidades para levar para a escola, que é o nosso verdadeiro objetivo”, explicou a vice-diretora da escola, que tem atividades agendadas com a escritora e ilustradora Gláucia de Souza na Feira.

A professora Andrea Moraes, da Escola Estadual de Ensino Médio Bernardo Vieira de Mello, de Esteio, participa de ações da CRL voltadas para mediadores desde 2011, quando iniciou o Tessituras. “A Ana dá uma aula de literatura e vai abordando, por exemplo, todos os links que precisamos”, opinou Andrea, que nesta edição levará turmas do ensino médio para encontros com o poeta e escritor Ricardo Silvestrin. Também destacou a importância de programas de incentivo à leitura desenvolvidos pela CRL e parceiros, como o Lendo pra Valer, do qual a sua escola participou em edições anteriores. Segundo ela, o programa propicia o acesso das escolas da rede pública aos autores e aos livros.

Atuando na capital gaúcha, Vera Lúcia da Silva Thomaz é professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Deputado Victor Issler e da Escola Municipal de Ensino Fundamental Chico Mendes, pela qual levará alunos para encontro com a escritora Márcia Leite na Feira. A educadora, que nunca havia participado de um encontro para mediadores, saiu satisfeita com o resultado. “Eu gostei, tem muitas informações, muitas referências, foi muito bom”, revelou Vera Lúcia, que dá aulas para alunos de ensino fundamental e, também, da EJA.

A avaliação foi compartilhada por Cristiane Palácios de Souza Costa, da Escola Municipal de Ensino Fundamental José Mariano Beck, de Porto Alegre, que tem diversos encontros programados com turmas de ensino fundamental e EJA durante a Feira. “Eu sou professora da Educação especial e é o meu primeiro encontro. O que eu achei mais interessante foi obter informações novas sobre o que é um livro literário e não literário, que eu não tinha conhecimento. Achei bem interessante ela descrever cada autor, em que gênero ele escreve, se é infantil ou juvenil, e também conhecer autores novos”.

Cristiane salientou ainda a importância do bônus-livros, que será distribuído pela primeira vez entre alunos da rede pública na Feira do Livro, especialmente em regiões de baixa renda, como é o caso do bairro Bom Jesus, onde leciona. “Eu já enviei o meu projeto! Eu acho muito importante porque a nossa comunidade é muito carente e a escola é praticamente o único acesso que os alunos têm no mundo letrado. Muitos não têm livros em casa, os que eles têm são os doados pela escola ou presentes dos professores. Isso vai aumentar o acesso para as famílias, para os irmãos, para os pais”, reforçou.

No canal oficial da Feira do Livro no YouTube, confira o depoimento de Ana Paula Cecato, coordenadora do Núcleo de Formação de Mediadores de Leitura da Câmara Rio-Grandense do Livro sobre as ações desenvolvidas: http://goo.gl/HMNqTZ


Formação de Mediadores de Leitura


Cristiane Palácios de Souza Costa, da Escola Municipal de Ensino Fundamental José Mariano Beck, de Porto Alegre


Formação de Mediadores de Leitura


Formação de Mediadores de Leitura


Formação de Mediadores de Leitura


Formação de Mediadores de Leitura

voltar

 



Associado, navegue por nossa área restrita e tenha acesso a conteúdos exclusivos.

Instituidores e colaboradores,
solicite aqui o seu crachá.


digite seu e-mail

digite sua senha

Esqueceu sua senha?
Ainda não está cadastrado?


De 1º a 18 de novembro de 2018



Câmara Rio-Grandense do Livro
Praça Osvaldo Cruz, 15 Conj. 1708 / 1709
CEP 90030-160 Porto Alegre, RS - Brasil
Fone/FAX (51) 3286. 4517
Fale Conosco Créditos