História da Feira do Livro

Criada por livreiros e editores gaúchos, com o apoio do jornalista Say Marques, diretor-secretário do Diário de Notícias na época, a Feira do Livro de Porto Alegre foi inaugurada em 1955. Com a participação de editoras e livrarias que oferecem ao público uma diversidade de títulos, é referência no Brasil pelo caráter democrático e pela consistência do trabalho na formação de leitores e mediadores da leitura. Realizada desde a primeira edição na Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha, divide-se em Área Geral, Área Internacional e Área Infantil e Juvenil. Centenas de escritores, ilustradores, contadores de histórias e outros profissionais marcam presença no evento, que conta com sessões de autógrafos, mesas-redondas, oficinas, palestras e uma programação artística intensa, entre outras atividades.

Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu a medalha da Ordem do Mérito Cultural, concedida pela Presidência da República, que a reconheceu como um dos mais importantes eventos culturais do Brasil. Um ano antes, já havia sido declarada bem do Patrimônio Cultural Imaterial do Estado e, em 2010, foi o primeiro bem registrado, pela Prefeitura de Porto Alegre, como integrante do Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial da cidade.

Uma Feira que tem e faz história. Confira os livros publicados sobre o evento:

Say Marques, O Criador da Feira do Livro de Porto Alegre, 1955-2004, de Rodrigues Till (Editora Evangraf, Porto Alegre, 2004), uma homenagem aos pioneiros da realização na data do cinquentenário.

Os Bastidores da Feira do Livro, de Simone Derosso, Helen Ortiz e Elaine Sodré (Secretaria Municipal de Cultura, 2000).

A Feira do Livro de Porto Alegre, 40 anos de História, de Paulo Bentancur e Joaquim da Fonseca (Câmara Rio-Grandense do Livro, 1994).

A Feira da Gente, de Walter Galvani (Feira do Livro de Porto Alegre, 50 anos – Câmara Rio-Grandense do Livro, Libretos, 2004).